terça-feira, 12 de outubro de 2010

Biografia de Stieg Larsson

Essa é curta porque ele não viveu muito...
Stieg Larsson nasceu em Skelleftehamm, Suécia no dia 15 de agosto de 1954, foi um dos mais influentes jornalistas e ativistas políticos suecos. Trabalhou na destacada agência de notícias TT. À frente da revista Expo, fundada por ele, denunciou organizações neofacistas e racistas. É co-autor de Extremhögern, livro sobre a extrema direita em seu país.
Por causa de sua atuação na luta pelos direitos humanos, recebeu várias ameaças de morte.
Em 2004, aos cinquenta anos, pouco após entregar aos seus editores os manuscritos da Trilogia Millennium, morreu vítima de um ataque cardíaco. Tragicamente, não viveu para assistir ao fenômeno mundial em que a sua obra se tornou. Há quem acredite que parte desse sucesso todo é devido à morte inesperado do escritor, mas ninguém ousa desmerecer sua genialidade.

5 comentários:

  1. Como eu já disse, pena que ele morreu.
    Ele escreveria muita coisa boa, tenho erteza!

    ResponderExcluir
  2. Já há muito tempo que não me acontecia tal coisa: ler com sofreguidão três livros de um autor que desconhecia. Li o primeiro volume da "trilogia Millennium" e corri para a livraria em busca dos outros dois. De um dia para o outro pareceu-me ter regressado aos tempos da juventude quando um livro, fosse qual fosse o seu tamanho, era lido numa só noite. STIEG LARSSON reeinventou, de facto, a leitura compulsiva, o desejo de continuar a ler depois de virarmos a última página. Que pena o mundo ter perdido este autor que, sem receio de errar considero singular. É por isso que, se ainda o não leu, desafio-o(a) a fazê-lo antes de se esgotar.
    Acredite que vale a pena!
    Luís Farinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, seu comentário soma muito ao Blog!

      Excluir
  3. Cara, entrei na livraria há alguns anos com um amigo e a atendente disse, compre este livro, você vai gostar! Era o volume 1 de Millennium, indiscutivelmente é impossível falar que a fama deve veio por sua morte, impossível não reconhecer o seu brilhantismo e propriedade com as palavras nos livros, a leitura é desafiadora e interessante, já não se faz escritores como ele, talvez parecidos..,. O enredo atual é fantástico também... Simplesmente... AMO! =)

    ResponderExcluir