sábado, 31 de dezembro de 2011

E No Final a Morte - Agatha Christie

Quem imaginaria que a Rainha do Crime escreveria sobre o Egito Antigo? Pois ela escreveu. E, como de costume, escreveu magnificamente.
Mas chega de rasgar seda e vamos à história:
O loca, é o Egito de 2000 a.C. Em uma sociedade na qual o sentido da via está intimamente relacionado aos ritual da morte, a jovem viúva Renisenb volta para a casa de seu pai, o sacerdote funerário Imhotep, para encontrar tudo aparentemente do jeito que deixou antes de se casar. O frágil equilíbrio familiar é quebrado o patriarca apresenta a jovem Nofret para ser sua concubina: uma presença que desperta os piores sentimentos nos habitantes da casa.
E como não poderia faltar, há um misterioso assassinato no meio d trama, envolvendo essa família dividida. Misteriosamente...
Agatha demonstra que sua capacidade criativa é infinita ao aliar uma imensa pesquisa arqueológica (na qual foi auxiliada por Stephen R. K. Glanville, um respeitado arqueólogo e egiptólogo britânico contemporâneo à autora) à personagens atemporais neste enredo digno da autora.
O livro entra para minha (já longa) lista de preferidos.

sábado, 24 de dezembro de 2011

House of Night: Despertada - P.C. & Kristin Cast

Chegamos ao oitavo livro da série que está prevista pata ter 12.
Neste ponto da saga Nefert está mais poderosa a maligna a cada momento, Zoe e Stark estão em Skye, o encantado reino de Sgiach, e por la tendem permanecer por um tempo, enquanto os demais continuam a luta contra Neferet.
Mas o merecido descanso não lhes é concedido. Jack morre em circunstâncias estranhas, e com isso desestabiliza-se o grupinho de Nix; de modo que Zoey é "forçada" a retornar à realidade.
Mas há reviravoltas no meio dos acontecimentos, como Stevie Rae e Rephaim serem forçados a assumir publicamente o que há entre eles, ou Kalona desafiar Neferet no meio de toda a Morada da Noite. Tudo para dar liga à história.
Nesse livro as autoras voltam a inovar dando voz a personagens que não tinha antes, isso quer dizer, há capítulos que são narrados ao redor de personagens que não havia desempenhado papeis tão importantes antes, como Jack.
Zoe começa a supera a morte de Heath e a se envolver com Stark, naquela velha confusão afetiva tão característica da série...

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Desventuras em Série - Lemony Snicket


A série (composta por 13 livros) narra as aventuras de três irmãos muito inteligentes, os órfãos Baudelaire. Violet Baudelaire, a mais velha, é uma inventora e tem catorze anos quando a série se inicia; Klaus Baudelaire, o irmão do meio, é um grande leitor e tem onze anos no começo da trama; e Sunny Baudelaire, a caçula, é um bebê que gosta de morder objetos e fala em uma linguagem compreensível apenas para seus irmãos (sua fala vai se desenvolvendo ao longo da série).
A história parte do momento em que as crianças são informadas de que seus pais faleceram em um terrível incêndio que ocorreu em sua mansão, destruindo-a. No primeiro livro, as crianças vão viver sob tutela de um primo distante, o Conde Olaf, um homem terrível e pouco higiênico que tenta roubar a enorme fortuna que seus pais lhes deixaram.
Em cada livro as crianças são levadas a um novo tutor excêntrico; o Conde Olaf sempre os acha onde quer que estejam, aparecendo em disfarces ridículos com um plano diferente para roubar a fortuna das crianças. Aparentemente, os únicos que não são enganados pelos disfarces são os Baudelaire.
A série segue nesse formato até o sétimo livro, quando os papéis são trocados, e do livro oitavo ao duodécimo as próprias crianças usam disfarces e são perseguidas pela polícia, após serem falsamente incriminadas pelo Conde Olaf, que armou e encenou o próprio assassinato.
Os irmãos são perseguidos pelo infortúnio aonde vão, mas ocasionalmente algo bom lhes acontece, e eles freqüentemente encontram pessoas boas e bem-intencionadas. No fim os Baudelaire têm de contar com suas forças e um com o outro para desvendar o mistério e finalmente encontrar um lugar que possam chamar de lar.
Apesar de muito longa, a série é boa. Eu a recomendo principalmente para pré-adolescentes, adolescentes, jovens adultos e professores da educação infantil, muito embora qualquer quarentão possa se divertir com a história dos Baudelaire.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Tenda dos Milagres - Jorge Amado

Mais um dos livros considerados clássicos que conquistaram um lugar entre os meu favoritos. Apesar de não ser o primeiro que eu li do Jorge Amado, foi o primeiro que eu recomendaria. Ele apresenta um linguagem mais "divertida" de se ler, em um contexto mais próximo a mim, e não perde a "caliencia" características dos livros do escritor baiano.
A história é contada retrospectivamente, em dois tempos. Em 1968, a passagem por Salvador de um célebre etnólogo americano admirador de Pedro Archanjo (que atua como uma espécie de intelectual orgânico do povo afro-descendente da Bahia, sendo autodidata, seus estudos sobre a herança cultural africana e sua defesa entusiástica da miscigenação abalam a ortodoxia acadêmica e causam indignação entre a elite branca e racista) desencadeia um revival de sua vida e obra. Para a comemoração do centenário de nascimento do herói redescoberto, arma-se todo um circo midiático.
Contrapondo-se a essa apropriação política da imagem de Archanjo, sua trajetória é narrada paralelamente como foi preservada na memória do povo: os amores, as polêmicas com os luminares da universidade, os confrontos com a polícia.
O livro foi adaptado para o cinema e para a televisão, na forma de minissérie, homonimamente.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Jogo Perigoso - Stephen King

Este livro trabalha com o psicológico do leitor, ao fazer nossa personagem principal, Jessie Burlingame, viver um dos momentos de maior terror de sua vida. Durante um final de semana de muito sexo com o marido em uma casa de campo do casal.
Um jogo erótico, no qual ambos começavam a experimentar o sadomasoquismo, se transforma em prelúdio para uma noite de horror, e Jessie é forçada a encarar seus temores mais ocultos. Entretanto, tudo ocorre apenas na mente dela, suas lembranças renegadas, diálogos fantásticos com seus muitos alteregos, que incluem a Esposa Perfeita, um esteriótipo da mãe de família americana; Ruth Neary, sua colega de sala da época da faculdade; Nora Callinghan, sua ex-psiquiatra e outros menos claramente caracterizados, como OVNI e Chega de Papo.
O livro começa com um ritmo lento, pouco característico de King, que se arrasta até o final, deixando o livro pesado e dando a impressão de que o potencial da obra não foi aproveitado. Além disso, há uma cena terrivelmente desagradável em que um cachorro faminto devora partes do cadáver de Gerald, o marido de Jessie.
Tudo isso só contribui para tornar este livro um "banho de água fria" para os fãs do autor, principalmente porque este livro foi publicado num momento da carreira do autor em que alguns de seus maiores sucesso também foram, como A Coisa e A Dança da Morte.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

A Torre Negra: O Pistoleiro - Stephen King

Finalmente comecei a ler a série A Torre Negra!

Este primeiro livro traz a história de Roland Deschain o último descendente do clã de Gilead, o dos pistoleiros, o clã deixou de existir desde que o Mundo Médio, onde viviam, "seguiu adiante". Para evitar a completa destruição deste mundo já deserto e devastado, Roland, precisa alcançar a Torre Negra, da qual depende todo o tempo e todo o espaço.
O pistoleiro (como Roland é chamado o livro todo pelo narrador) acredita que um misterioso personagem, a quem se refere como o homem de preto, conhece e pode revelar segredos capazes de ajudá-lo em sua busca, e por isso o persegue sem descanso. Pelo caminho encontra pessoas que pertencem a seu ka-tet, ou seja, cujo destino está ligado ao seu. Entre eles estão Alice, e Jake Chambers, um garoto que foi transportado para o mundo de Roland após morrer e Nova Iorque em 1977.
Sua aventura se estenderá para outros mundos muito além do Mundo Médio, levando-o a realidades que ele jamais sonhara existir.
O livro, considerado uma das obras-primas de King e que teve com inspirações romances de faroeste e os livros de J.R.R.Tolkien, começa meio devagar mas vai progredindo e tem pontos muito altos, pra mim o melhor é o diálogo em que o Homem de Preto explica sobre a Torre Negra.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Inimigo Secreto - Agatha Christie

Este livro é considerado um dos que impulsionou a carreira da Rainha do Crime.
Ele conta a história de dois jovens amigos que, cansados da rotina, decidem fundar uma empresa nada convencional, especializada em investigações, a Jovens Aventureiros Ltda. O primeiro caso era um desafio que intrigava a Scotland Yard: o desaparecimento da americana Jane Finn, levando com ela documentos secretos que poderiam comprometer o governo inglês.
Mas Thomas Bareford e Prudence Cowley (misteriosamente chamada apenas de Tuppence por seus amigos) não são os únicos interessados em descobrir o paradeiro desse papeis. A mesma busca é empreendida por um homem misterioso e perigoso, conhecido como Sr. Brown, um mestre na arte do disfarce, que pode aparecer do nada e desaparecer em seguida sem deixar qualquer rastro.
O romance segue no ritmo empolgante que caracteriza os livros de Agatha Christie, marcado por reviravoltas, perseguições, surpresas e pistas inusitadas.
Além de tudo isso tem ainda um pouco de romance para dar um charme ao livro!

sábado, 26 de novembro de 2011

Quem tem Medo do Escuro? - Sidney Sheldon

Esse livro é do tipo: Ual!
De todo os lados do mundo chegam notícias da morte e do desaparecimento de pessoas ligadas à Kingsley International Group, o KIG, uma importante empresa de pesquisa de alta tecnologia, envolvida em estratégia militar, telecomunicações e questões ambientais. Em Berlim, uma mulher some em plena luz do dia. E Paris, um homem pula da torre Eiffel. Em Denver, um avião explode contra uma montanha. Em Nova York, um corpo é encontrado às margens do East River.
Kelly Harris e Diane Stevens, jovens viúvas de duas das vítimas (típicas heroínas de Sidney Sheldon), se conhecem em Nova York, a convite do presidente da KIG, Tanner Kingsley. Ele garante que está fazendo todo o possível para descobrir quem está por trás das mortes misteriosas de seus maridos. Mas pode ser tarde demais. Alguém tenta matar Kelly e Diane, que escapam por pouco.
Apavoradas, suspeitando uma da outra e armadas apenas com suas inteligências, ela tornam-se aliadas em um jogo mortal, no qual apostam as próprias vidas para descobrir a verdade.
À medida que chegam ao fundo do mistério, começam a desvendar os segredos aterrorizantes que o KIG luta para ocultar. E percebem estar no meio de uma trama diabólica que pode afetar todo o destino do planeta.
Enfim um romance com o padrão Sidney Sheldon de qualidade!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Poética - Cassiano Ricardo

Que é a poesia?
uma ilha
cercada
de palavras
por todos
os lados.

Que é o poeta?
um homem
que trabalha o poema
com o suor do rosto.
Um homem
que tem fome
como qualquer outro
homem.

sábado, 19 de novembro de 2011

Os Herós do Olimpo: O Herói Perdido - Rick Riordan

Eu estava ansioso para começar a ler este livro, mesmo que antes dele eu estava lendo "Coisas Frágeis" 1 e 2 de Neil Gaiman. Isso sempre acontece antes de eu ler um livro do Rick Riordan. Até agora ele não me despontou!
Mas vamos à história:

Sete meio sangues responderão ao chamado.
Em tempestade ou fogo o mundo terá acabado.
Um juramento a manter com um alento final,
E inimigos com armas ás Portas da Morte afinal.

Está é a profecia ligada à nova saga, que começa com Percy Jackson desaparecido; além disso, o Olimpo está fechado e os Deuses estão mudos, Hera desapareceu e, para variar, há algo sinistro no ar.
Temos novos personagens:
Jason Grace: o desmemoriado filho de Zeus (ou melhor Júpiter) que deve liderar o grupo de semideuses da profecia, embora não tenha certeza se esse é o seu lugar.
Piper McLean: a revoltada filha de Afrodite, que com o tempo passa a perceber as vantagens de sua situação.
Leo Valdez: o engraçado filho de Hefestos, que, com um dom perigoso, terá muito a oferecer ao grupo.
Eles têm em suas mãos uma bomba prestes a explodir. Ainda pior do que enfrentar o Senhor dos Titãs e seu exército. De acordo com a mitologia grega, após a derrota dos Titãs, Gaia gera os gigantes e os manda destruir o Olimpo; desta vez, além de mandar os Gigantes, a própria Deusa da Terra quer se erguer e derrotar os olimpianos.
Em sua nova série, Riordan aborda a face romana da mitologia grega, sem deixar esta de lado.

sábado, 12 de novembro de 2011

Academia de Vampiros: Promessa de Sangue - Richelle Mead

As autoras do gênero têm gostado de, de repente, no meio de suas séries, introduzir livros anormalmente maiores do que os outros, como este "Promessa de Sangue", o maior da série até agora, com praticamente o dobro do tamanho dos demais. Isso é bom quando as autoras conseguem manter o ritmo do começo ao fim; neste volume Richelle Mead logra êxito em seu intento!
O livro começa logo após Rose ter deixado a escola, depois do ataque dos Strigoi. Ciente de que deve cumprir a promessa feita a seu amor, a jovem guardiã parte rumo à Rússia para salvar Dimitri de seu sinistro destino. Lá ela conhece Sydney, membro de um misterioso grupo de alquimistas, e juntas acabam chegando à casa dos Belikov, a família de Dimitri.
Com esse aparente golpe de sorte, a viagem de Rose não parece estar longe de seu desfecho. Contudo, uma série de revelações e imprevistos passa a enredá-la cada vez mais. A dampira percebe que não será tão simples assim completar sua missão e descobre que Lissa, sua melhor amiga, novamente corre perigo.
A autora usa esse livro para descortinar um novo mundo e novos personagens, sem se afastar por completo do ambiente da escola; nele a complexa sociedade Moroi se revela menos organizada do que aparentava nos livros anteriores.
E apesar de Rose meter os pés pelas mãos várias vezes, a aura de aventura e mistério que envolve esse livro é contagiante! (principalmente as revelações do último capítulo^^)

sábado, 5 de novembro de 2011

Rainha da Tempestade - Marion Zimmer Bradley

Mais um da grande mestre da ficção e da magia: Marion Zimmer Bradley, este foi o segundo livro que eu li da série Darkover. Ele mostra que a grande epopeia do mundo do sol vermelho cenhecido como Darkover não começou com chegado dos terráqueos. Começou muito antes, durante os dias sinistros da civilização que veio a ser conhecida como Era do Caos.
Pois naqueles anos é que se aprendeu a usar o poder da matriz - e se usou mal, numa luta pelo poder entre os Domínios em ascensão. A força mental-física criou uma tecnologia que ameaçava transformar Darkover numa réplica terrível de tudo o que era ruim na distante Terra.
Rainha da Tempestade é o primeiro romance de Bradley sobre os tempos em que a matriz estava na mãos de homens ambiciosos, quando a interferência genética produzia prodígios e detentores de estranhos poderes, quando o herdeiro dos Hasturs encontrou o seu destino nas pessoas de mulher-feiticeira a quem amava e da criança-mutante que jurou proteger.
Neste volume, a autora mergulha o leitor no universo darkovano; para quem o lê como o segundo livro da série, ajuda a construir de modo linear uma sequência temporal da saga.
O livro traz personagens complexos e bem construídos, com características muito próprias, ao melhor estilo Bradley. Os principais são:
Allart, o filho mais moço do lorde do Domínio de Elhalyn, angustiado por seu estranho poder, um laran que lher permite ver não apenas o futuro, mas todos os futuros possíveis a partir de cada ato seu. Recolhe-se a um mosteiro na tentativa de reprimir esse estranho dom, mas um destino inexorável o arranca de lá para um dos muitos futuros que pode prever, mas se recusa a aceitar.
Dorilys, uma estranha criança que nasce em Aldaran, um Domínio das montanhas, com um fantástico laran, que parece capaz de controlar a tempestade. Única e mimada filha sobrevivente do lorde Aldaran, é uma menina arrogante e imprevisível, ameaçada pela doeça do limiar, que se abate sobre todos os adolescentes quando sofrem o impacto do surgimento de seu dom.
Donal, meio irmão de Dorilys, é sério, compenetrado, resignado a uma vida tranquila, em segundo plano no Domínio, quando acontecem duas coisas que haverão de mudar para sempre o seu destino: um grande amor e a ameaça armada a Aldaran.
Renata, uma jovem monitora da Torre, bela, liberada,com o dom da empatia, capaz de sentir os sentimentos alheios como se fossem seus, telepata, lançada de repente no meio de um turbilhão de eventos que escapam ao seu controle.
Nem preciso dizer que o livro é maravilhoso né...

sábado, 29 de outubro de 2011

Depois da Escuridão - Sidney Shedon e Tilly Bagshawe

Da mesma forma que A Senhora do Jogo, este livro foi escrito apenas por Tilly Bagshawe, mas leva o nome (ou melhor a marca) de Sidney Sheldon.
O livro começa no típico estilo sheldoniano, impactante, envolvente, provocante e capaz de encher o leitor de expectativa.
Mas antes de continuar, devo admitir que comecei a ler este livro já com a (má) intenção de fazer uma resenha negativa, pois esperava que fosse como o anterior. Entretanto já nas primeiras páginas fui surpreendido. Ele conquistou minha atenção.
O livro começa com o julgamento de Grace Brookstein, a socialite mais querida dos Estados Unidos, que, de uma hora para a outra vê seu mundo desmoronar; seu marido, o gênio das finanças Lenny Brookstein, sai para velejar e nunca mais retorna. Enquanto lida com a tragédia, um escândalo envolvendo o seu nome irrompe: bilhões de dólares foram roubados de seus maiores investidores - trabalhadores americanos de classe média e baixa.
Da noite para o dia, sua vida se transforma, todos os seus bens são confiscados e ela é acusada de fraude. Determinada a provar sua inocência, Grace parte em uma jornada que revelará que ninguém à sua volta é digno de confiança.
Depois de ir para a cadeia, Grace sofre outra reviravolta em sua vida, descobre a verdadeira amizade e uma razão para continuar vivendo. Passa a surpreender a todos com suas atitudes. Desenterra a verdade sobre aqueles que a cercavam em sua antiga vida e, principalmente, reencontra o amor, de um jeito muito inusitado.
Este é um livro que surpreende e fisga o leitor, de até para se sentir no universo retratado.

sábado, 22 de outubro de 2011

Biografia de P.C. e Kristin Cast

Phyllis Cast, conhecida pelo pseudônimo P.C. Cast, escritora Americana de romance e fantasia, conhecida pela série de livros House of Night que ela escreve com sua filha Kristin Cast.
Nascida em Illinois, vive em Oklahoma e leciona Inglês na South Intermediate High School em Broken Arrow desde 1993. Os seus livros receberam numerosos prêmios: Prism, Holt Medallion, Daphne du Maurier, Booksellers Best e o Affaire de Coeur Readers Choice.
Em 2007 iniciou a saga da Morada da Noite com a sua filha Kristin Cast como co-autora. Kristin recebeu vários prêmios de poesia e jornalismo. Também vive em Oklahoma onde estuda Biologia na Northeastern State University.
Mãe e filha trabalham muito bem juntas, são sinônimos de sucesso e fazem dessa nova série vampiresca um Fenômeno de fãs e ótimas críticas.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Os Imortais: Infinito - Alyson Noël

É o último livro da série, e provavelmente o mais difícil de se descrever.
Portanto, não vou falar muito sobre ele.
Ever enfrenta duas jornadas, faz descobertas com potencial de mudar tudo, toma decisões inesperadas, resolve problemas antigos, enfim, tudo o que tem que ser feito para se concluir a história dela e Damen.
O livro na verdade é turbilhão de acontecimentos e reviravoltas que tentam atar todos os nós, e isso não o faz menos bom, apenas mais intenso.
É realmente muito bom, mas para descobrir mais, tem que ler e "viver" com Ever (e Adelina) todas as experiências.
Pena que acabou.

sábado, 15 de outubro de 2011

O Bicho - Manuel Bandeira

Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.

Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.

O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.

O bicho, meu Deus, era um homem.

sábado, 8 de outubro de 2011

O Marido Complacente - Marquês de sade

Um clássico libertino, é como este livro - uma seleção de contos - é rotulado, mas de libertino pouco há em suas páginas (imagino que na época em que foi escrito se pensasse diferente).
Na primeira parte do livro, o marquês se mostra um mestre em criar situações tragicômicas, revelando todo o seu bom humor, mas não escreve nada que uma boa moça de família não possa ler.
Ele escreve com uma linguagem ao mesmo tempo rebuscada e ambígua, dando sempre uma divertida conotação erótica, mas não vulgar; talvez seja essa a fonte para quem diz que ele seja libertino. Outra possibilidade é o pouco caso do marquês com os costumes e a falta de medo de dizer a verdade.
Sem contar o fato de dar uma abordagem inadivertidamente à temática da Igreja, não raramente incluindo padres, bispos e abades em peripécias sexuais, como em: "O bispo atolado", "A flor do castanheiro" e "O preceptor filosófico".
Sadismo, é um termo que não se relaciona com os contos e histórias deste livro, embora derive do nome de seu autor: Donatien Alphonse-François, o Marquês de Sade.

sábado, 24 de setembro de 2011

Miguel Strogoff - Júlio Verne

Outro do insuperável Julio Verne: ambientado no longínquo (e fascinante) império russo, narra as aventuras do intrépido herói, que necessita percorrer 5.500 km de obstáculos quase insuperáveis, entre os exércitos de traidores do czar, para entregar ao Grão-Duque, na cidade de Irkutsk, na Sibéria, uma mensagem secreta que o soberano lhe confiara.
Suportando todo o tipo de dificuldades e de obstáculos, submetido a humilhações e tortura durante esse longo percurso pelo exótico interior do continente asiático, o herói surge como um modelo de perfeição e virtude, forte e corajoso, a quem nada consegue deter no cumprimento de sua missão.
Quanto mais leio sobre essa magnífica cultura (da terra já chamada de Império Russo e URSS), mais me interesso pela terra de Dimitri Mendeleiev e Ivana Fukalot.
Neste livro, especificamente, pode-se aprender sobre a geografia e a política da Rússia Czarista. Para aprender mais sobre outro período, recomendo a leitura do romance: Zoya de Danielle Steel.
Uma ressalva importante é que é necessário ter atenção ao ler, pois a quantidade e variedade de nomes (estranhos) citados pode levar à incompreensão.

sábado, 17 de setembro de 2011

Cérebro - Robin Cook

Carregado com todas as características típicas do autor, Cérebro narra a história de uma jovem, que ao chegar ao Centro Médico da Universidade Hobson e desaparece ao tentar buscar seus registros médicos. No mesmo momento uma outra moça morre na mesa de operações e o seu cérebro desaparece misteriosamente.
Além disso, verifica-se uma anormal ocorrência de casos de doentes, do sexo feminino, afetadas por estranhos problemas mentais e apresentando um comportamento sexual chocante.
O assistente-chefe, Martin Philips, e a médica-residente, Denise Sanger, amantes e colegas, estão alarmados, pois suspeitam que algo de terrível se passa no centro de pesquisas. Decidem então tentar descobrir o que está na origem de todas aquelas situações estranhas e preocupantes, mas percebem que puseram em risco não só as suas carreiras, mas também as próprias vidas e a investigação transforma-se em perseguição e conspiração o que os leva a penetrar nos segredos mais íntimos e aterradores de um mundo médico enlouquecido com o seu poder tecnológico e disposto a tudo para aumentá-lo (tipicamente cookiano^^).
O livro todo em um estilo acelerado que conquista o leitor, traçando o a boa ficção médica; mas o final foi um pouco decepcionante, talvez bizarro de mais.

Outros títulos do autor:
Febre;
Coma.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Poema das sete faces - Carlos Drummond de Andrade

Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.

As casas espiam os homens
que correm atrás de mulheres.
A tarde talvez fosse azul,
não houvesse tantos desejos.

O bonde passa cheio de pernas:
pernas brancas pretas amarelas.
Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.
Porém meus olhos
não perguntam nada.

O homem atrás do bigode
é sério, simples e forte.
Quase não conversa.
Tem poucos, raros amigos
o homem atrás dos óculos e do -bigode,

Meu Deus, por que me abandonaste
se sabias que eu não era Deus
se sabias que eu era fraco.

Mundo mundo vasto mundo,
se eu me chamasse Raimundo
seria uma rima, não seria uma solução.
Mundo mundo vasto mundo,
mais vasto é meu coração.

Eu não devia te dizer
mas essa lua
mas esse conhaque
botam a gente comovido como o diabo.

sábado, 3 de setembro de 2011

Rosa de Hiroxima - Vinícius de Moraes

Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas, oh, não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa, sem nada

sábado, 27 de agosto de 2011

Agatha Christie, a Rainha do Crime

Agatha May Clarissa Mallowan nasce em Torquay, Inglaterra, no dia 15 de setembro de 1890, foi uma das maiores escritoras de todas os tempos, com mais de 80 ramances publicados. Ela é conhecida como a Rainha do Crime, ou Duquesa da Morte, por escrever (quase exclusivamente) romances policiais envolvendo grandes assassinatos.
Agatha passou a infância e a adolescência num ambiente quase recluso, pois sua mãe se encarregou de dar-lhe formação cultural, proibindo-a de freqüentar escolas públicas. Tinha trinta anos quando conseguiu publicar seu livro de estréia, O misterioso caso de Styles (1921).
Casou-se pela primeira vez em 1914, com o Coronel Archibald Christie, piloto do Corpo Real de Aviadores. O casal teve uma filha, Rosalind, e divorciou-se em 1928. Durante a Primeira Guerra Mundial, Agatha trabalhou em um hospital e em uma farmácia, funções que influenciaram seu trabalho: muitos dos assassinatos em seus livros foram cometidos com o uso de veneno.
Em 1930, casou-se com o arqueólogo Sir Max Mallowan, e suas viagens juntos contribuíram com material para vários de seus romances situados no Oriente Médio. Em 1971 ela recebeu o título de Dama da Ordem do Império Britânico.
Agatha Christie morreu em 12 de janeiro de 1976, aos 85 anos de idade, de causas naturais, em sua residência
Foi pioneira ao fazer com que os desfechos de seus livros fossem extremamente impressionantes e inesperados, sendo praticamente impossível ao leitor descobrir quem é o assassino.
Ela criou dois personagens inesquecíveis: o detetive belga Hercule Poirot, com suas prodigiosas celulazinhas cinzentas no cérebro, e Miss Marple, uma solteirona simpática, observadora sagaz e tão cerebral quanto o detetive belga. Antes de morrer, cuidou de preparar a despedida de Miss Marple; e voltou a mansão Styles, cenário de seu primeiro livro, para encerrar a carreira de Poirot em Cai o pano. Tudo como medida para que seus personagens não fossem desvirtuados após sua morte.

sábado, 20 de agosto de 2011

Febre - Robin Cook

O primeiro livro de Robin Cook que eu li, pegando emprestado na empoeirada biblioteca de meu avô, conta a história de uma família que vive feliz em uma cidadezinha pacata no interior dos Estados Unidos, chamada Shaftesbury. Um ex-médico que agora dedica sua vida à pesquisas do câncer, se mora com seus dois filhos Chuck e Jean Paul, sua filha Michelle e ainda sua nova esposa Cathryn.
Eles vivem próximos ao rio Potomac, que cruza toda a cidade, onde é interrompido por diversas fábricas, entre as quais uma instituição química chamada Recycle Ltd., fábrica de reciclagem de borracha, plástico e vinil.
Charles (o pai) tem feito muito progresso em suas pesquisas com o câncer. Ele busca descobrir uma forma de fazer o sistema imunológico ser forte o bastante para conseguir destruir as células cancerígenas e sente que está prestes a descobrir algo grande.
Sua filha Michelle tem apresentado febre nas últimas semanas e o que parecia apenas um resfriado, escondia algo que traria o terror para a vida de Charles e sua família.
Levada ao pediatra, descobre-se que Michelle tem leucemia mieloblástica, o tipo mais agressivo da doença, com casos fatais em 99% dos casos.
Ao descobrir que a Recycle Ltd. despeja benzeno no rio Potomac, e que esse fato pode ter relação com a doença da filha, o pai se envolve em acontecimentos que vão desde a procura de um órgão que possa fechar a Recycle Ltd., até o rapto de Michelle do hospital para sua casa, onde continua suas pesquisas com os aparelhos roubados de seu antigo emprego, usando o próprio corpo como cobaia.
Emocionante e envolvente, este livro é de arrepiar!

Outros títulos do autor:
Cérebro;
Coma.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Nêmesis - Agatha Christie

Lendo este livro, ressurgiu-me ideia de que (como já havia lido em algum outro blog) Miss Marple seria uma espécie de alter ego da autora. Por hora, fica apenas a ideia...
O livro começa com Miss Marple sentada em sua grande poltrona, diante da lareira em sua casa em St. Mary Mead. Enquanto lia seus jornais, repetiu em voz baixa, para si mesma, a estranha frase, que evocava um outro cenário: palmeiras tropicais, o mar azul do Caribe, e ela própria, correndo pela noite quente e perfumada da ilha de St. Honoré em busca de socorro para tentar salvar uma vida. Naquela noite a primeira palavra que lhe ocorreu fora Nêmesis.
Instigante, talvez seja uma palavra adequada para descrever este livro. Também acho pertinente dizer que quase morri de curiosidade ao ler este livro; embora seja o mais confuso dos livro de Agatha, dando poucas informações e muitas sugestões, desorienta o leitor.
O mais interessante é perceber como toda a trama, os acontecimentos, as tragédia, e as reações, já estavam previstas por Mr. Rafiel, ao dar à Miss Marple a missão de ser sua Nêmesis.
E no final, ao melhor estilo Agatha Christie, quem aparentava ser vilão se mostrou mocinho, e quem se mostrava mocinho se revelou vilão.
Agradeço ao amigo Gustavo por este livro.

sábado, 13 de agosto de 2011

Gone: desaparecer - Lisa McMann

Este livro começa logo após o julgamento decorrente do livro anterior, mas os problemas de Janie não cessam; ela achou que já sabia o que o futuro lhe reservava.
E pensou que estava em paz com isso. Mas não suporta ver Cabel afundando com ela. E ele não está reagindo nada bem, ambos estão enfrentando o problema de um modo diferente, isolados.
Mesmo assim, eles tentam agir como antes, não imorta os sonhos dele, Janie sabe que ele ficará com ela. Ele é incrível. E ela um desastre total. Janie só vê uma maneira de dar a Cabel a vida que ele merece - ela precisa desaparecer. Mas isto destruirá os dois.

Então, um estranho entra em sua vida - e tudo se desfaz. Ela se vê colocada em cheque, enfrenta situações cada vez piores com sua mãe. E esse estranho, que traz a tona questões a muito esquecidas ou já resolvidas. Seu futuro, entes previsto, sofre uma reviravolta trágica e suas escolhas se tornam mais terríveis do que Janie jamais imaginou. Ela só precisa escolher o menor dos dois males. E o tempo está se esgotando...

É essa terrível escolha que norteia e permeia todo o livro, talvez por essa repetitividade, ou pela falta da ação característica da série, este que finaliza a trilogia é o "menos bom" dos livros.

Mesmo levando-se isto em consideração a série vale a pena. Espero que a autora ainda escreva mais...

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Cartas de Meu Avô - Manuel Bandeira

A tarde cai, por demais
Erma, úmida e silente...
A chuva, em gotas glaciais,
chora monotonamente.

E enquanto anoitece, vou
Lendo, sossegado e só,
As cartas que meu avô
Escrevia a minha avó.

Enternecido sorrio
Do fervor desses carinhos:
É que os conheci velhinhos,
Quando o fogo era já frio.

Cartas de antes do noivado...
Cartas de amor que começa,
Inquieto, maravilhado,
E sem saber o que peça.

Temendo a cada momento
Ofendê-la, desgostá-la,
Quer ler em seu pensamento
E balbucia, não fala...

A mão pálida tremia
Contando o seu grande bem.
Mas, como o dele, batia
Dela o coração também.

A paixão, medrosa dantes,
Cresceu, dominou-o todo.
E as confissões hesitantes
Mudaram logo de modo.

Depois o espinho do ciúme...
A dor... a visão da morte...
Mas, calmado o vento, o lume
Brilhou, mais puro e mais forte.

E eu bendigo, envergonhado,
Esse amor, avô do meu...
Do meu - fruto sem cuidado
Que ainda verde apodreceu.

O meu semblante está enxuto.
Mas a alma, em gotas mansas,
Chora abismada no luto
Das minhas desesperanças...

E a noite vem, por demais
Erma, úmida e silente...
A chuva em pingos glaciais,
Cai melancolicamente.

E enquanto anoitece, vou
Lendo, sossegado e só,
As cartas que meu avô
Escrevia a minha avó.

sábado, 6 de agosto de 2011

Cinco Dias em Paris - Danielle Steel

De fato nada parece estar em falta na vida do bem-sucedido Peter Haskell.
Ele é o presidente de uma companhia farmacêutica, tem poder, posição, uma carreira e uma família pela qual se sacrificou bastante e que é tudo para ele. Mas as aparências...
Quanto a Olivia Thatcher, é esposa de um senador famoso, e sempre viveu em função do marido dedicando-se de alma e coração às suas ambições e à sua carreira. Mas ela carrega uma marca pela morte do filho, vítima de câncer aos dois anos de idade
Peter e Olivia conhecem-se casualmente numa noite de junho na Place Vendôme em Paris e, apesar das suas vidas totalmente diferentes, descobrem que são almas gêmeas; após compartilharem seus dramas pessoais num café de Montmartre, descobrem a paixão, e a selam na noite seguinte num quarto de hotel. Tudo o que se podem permitir são cinco dias na capital francesa, após os quais pensam retornar às suas respectivas vidas.
Ao final de cinco dias, Peter e Olivia percebem que suas vidas, antes tão diferentes, estão ligadas de forma definitiva, mas não podem prever o que acontecerá quando voltarem para casa e percebem que em seus casamentos nada é como dantes.
Já disse aqui que Steel é uma das maiores mentes da literatura mundial, mas neste romance ela se supera. Talvez ele tenha me marcado tanto por ter sido meu primeiro contato com a autora, talvez seja sua obra prima...

sábado, 30 de julho de 2011

Fade: Desvanecer - Lisa McMann

Tudo vai bem entre Janie e Cabel quando o livro começa, eles estão curtindo uma ótima fase no namoro, estão bem na escola e no trabalho. Só não tiveram a chance de se aprofundar nesse amor..., não que eles não tenham tentado.
Mas a calmaria acaba quando eles tomam conhecimento de que coisas perturbadoras estão acontecendo em Fieldridge High, e que ninguém quer falar a respeito.Eles têm uma nova missão: identificar e dar flagrante em um predador sexual. Que aparentemente é um dos professores da escola.
Janie deve ser a isca, e isso está matando Cabel. Janie enfrenta seus próprios problemas independente do trabalho.
A cabeça confusa de Janie e o chocante comportamento de Cabel têm graves consequências para ambos.
Entretanto, no meio de toda essa desestabilidade, eles acham o momento que estavam precisando, um momento só para eles, um momento de paixão.
Por fim, Janie descobre a verdade sobre si mesma e sua habilidade, E é desolador. Não só o seu destino está selado, como o que está por vir é muito mais sombrio que seu pior pesadelo. Como se não bastasse, Cabel a está ignorando, aparentemente por causa do que aconteceu durante o flagrante do predador sexual.
O livro segue como o anterior, em um ritmo alucinante que não te permite desgrudar os olhos de suas páginas.

sábado, 23 de julho de 2011

Cinco Semanas em Balão - Júlio Verne

Com poderosa imaginação e vasto conhecimento cientifico, Júlio Verne previu o futuro diversas vezes em seus muitos livros. Nesta obra, ele descreve a inimaginável (na época) travessia de um continente abordo de um balão.
Como a maioria de suas obras, está recheada de informações geográficas, que ao mesmo tempo a tornam complexa e mais interessante. No entanto "Cinco Semanas em Balão", assim como "A Ilha Misteriosa", também é marcada por um forte teor de conceitos de química, que dão suporte as teorias de Verne, sem enfadar o leitor.
O livro narra a viagem proposta pelo Dr. Fergusson, seu criado, Joseph, e seu amigo Richard Kennedy também participam. Tal viagem consiste na travessia do continente Africano em um balão, que (obviamente) durou cinco semanas.
Nela os viajantes vivem aventuras ímpares, como serem rebocados por um elefante, fingirem ser filhos da lua para uma tribo nativa, resgatar um missionário, entre outras, todas com suas consequências, boas ou ruins.
Está entre os livros que não pode-se deixar de ler!

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Portal das Sombras - Gaton Stefani

Nem preciso dizer o quanto fiquei surpreso (e feliz) ao ser contactado pelo autor para que ele me enviasse um exemplar de seu livro mais recente. Pois é, este é o primeiro livro que o Pausa Para a Leitura recebe para resenhar.
E que estréia! Adoro livro de contos. Adoro livros de fantasia. Adoro livros com tendências ao sombrio. E ter em mãos um exemplar -nacional - que reúna tudo isso com qualidade não é fácil e contribui para que nossa literatura seja cada vez melhor!
O livro traz 13 contos que mesclam mistério, crime, terror, satanismo, bruxaria, vampirismo, parapsicologia e ficção científica, enfim, o sobrenatural.
Os contos são rápidos, de modo que ninguém se cansa da leitura, todos deixam um gostinho de quero mais e mechem com a imaginação do leitor.
O meu preferido foi O Deus do Mal, que conta a história de um arqueólogo que se depara com uma criatura nefasta em uma floresta... mas não vou dizer mais para não estregar a surpresa.

Obrigado Gaston!

terça-feira, 19 de julho de 2011

Selinho!

Recebi esse selinho da Priscila do Formiguinha Aquática.













Aki estão os meus indicados:
Fundo Falso
Guardiã da Meia Noite
Sentimento nos Livros

sábado, 16 de julho de 2011

Coma - Robin Cook

Suspense médico, um tema que tem tudo para ser maçante é transformado em um texto fascinante pelas mãos do mestre do gênero.
O terceiro livro do Cook que eu li e o primeiro que comprei, um dos melhores investimentos possíveis, este livro relata as investigações de Susan Wheeler, bela estudante de medicina designada para o prestigioso Boston Memorial Hospital. Logo no primeiro dia do seu internato, Susan estranha o elevado número de pacientes que entram na sala de cirurgia para pequenos procedimentos e acabam em coma.
Todos os casos acontecem com pacientes jovens e saudáveis, que saem das cirurgias com o cérebros irremediavelmente comprometidos. Intrigada, Susan, faz pesquisas minunciosas nos relatórios do hospital e chega a uma conclusão alarmante: há uma trama criminosa entre os médicos envolvendo o comércio de órgãos para transplante.
Ao revelar sua intensão de desvendar o mistério, ela expõe sua vida a um grande perigo.
No decorrer da história passamos a conhecer Susan, e com isso começamos a compartilhar seus sentimentos.
A história se desenvolve em um ritmo descritivo (talvez até minuncioso), que pode deixar alguns leitores cansados; no meu caso, apesar de eu não gostar de excesso de descrições, esse fator serviu para tornar a narração mais palpável.
Vale ressaltar que a leitura pode ser dificultada por ser vastamente complexa em termos de especialidade médica.

Outros títulos do autor:
Febre;
Cérebro.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

O Hobbit - J. R. R. Tolkien

Publicado em 1937 com o nome O Hobbit ou Lá e de Volta Outra Vez, esse é para mim um livro melhor os três da trilogia O Senhso dos Aneis; dos quais eu não gosto muito...
O livro trata de uma história antecedente à Saga do Anel, contando as aventuras da juventude de Bilbo Bolseiro, que vivia tranquilamente em sua casa, quando o mago Gandalf chega ao Condado após uma "invasão" de anões. Eles estão ali para convidá-lo a participar da jornada que fariam para reconquistar a Montanha Solitária. O lugar havia sido uma grande fortaleza dos anões, mas o dragão Smaug a tomou para si, junto com suas riquezas. Até alcançar as longínquas terras, o grupo de viajantes encontra trolls, elfos da floresta das trevas, humanos guerreiros, orcs e a menção a uma estranha sombra que tentava tomar a Terra Média.
Enquanto atravessa uma parte particularmente perigosa do caminho, Bilbo perdeu-se em cavernas de uma montanha. Lá encontrou a estranha criatura Gollum, que lhe propõe um jogo de adivinhas para ajudá-lo a sair. Ele era o atual dono do Um Anel que passa para as mãos do hobbit.
O livro é o meu preferido porque possui um ritmo e cadência não encontrada em “O Senhor dos Anéis” e muito menos em “O Silmarillion”.
Para aqueles que criticam as obras de Tolkien, “O Hobbit” é uma prova irrefutável de sua genialidade.

sábado, 9 de julho de 2011

Violões que Choram - Cruz e Sousa

Ah! plangentes violões dormentes, mornos,
Soluços ao luar, choros ao vento...
Tristes perfis, os mais vagos contornos,
Bocas murmurejantes de lamento.

Noites de além, remotas, que eu recordo,
Noites da solidão, noites remotas
Que nos azuis da Fantasia bordo,
Vou constelando de visões ignotas.

Sutis palpitações a luz da lua,
Anseio dos momentos mais saudosos,
Quando lá choram na deserta rua
As cordas vivas dos violões chorosos.

Quando os sons dos violões vão soluçando,
Quando os sons dos violões nas cordas gemem,
E vão dilacerando e deliciando,
Rasgando as almas que nas sombras tremem.

Harmonias que pungem, que laceram,
Dedos Nervosos e ágeis que percorrem
Cordas e um mundo de dolências geram,
Gemidos, prantos, que no espaço morrem...

E sons soturnos, suspiradas magoas,
Mágoas amargas e melancolias,
No sussurro monótono das águas,
Noturnamente, entre ramagens frias.

Vozes veladas, veludosas vozes,
Volúpias dos violões, vozes veladas,
Vagam nos velhos vórtices velozes
Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas.

Tudo nas cordas dos violões ecoa
E vibra e se contorce no ar, convulso...
Tudo na noite, tudo clama e voa
Sob a febril agitação de um pulso.

Que esses violões nevoentos e tristonhos
São ilhas de degredo atroz, funéreo,
Para onde vão, fatigadas do sonho
Almas que se abismaram no mistério.

Sons perdidos, nostálgicos, secretos,
Finas, diluídas, vaporosas brumas,
Longo desolamento dos inquietos
Navios a vagar a flor de espumas.

Oh! languidez, languidez infinita,
Nebulosas de sons e de queixumes,
Vibrado coração de ânsia esquisita
E de gritos felinos de ciúmes!

Que encantos acres nos vadios rotos
Quando em toscos violões, por lentas horas,
Vibram, com a graça virgem dos garotos,
Um concerto de lágrimas sonoras!

Quando uma voz, em trêmolos, incerta,
Palpitando no espaço, ondula, ondeia,
E o canto sobe para a flor deserta
Soturna e singular da lua cheia.

Quando as estrelas mágicas florescem,
E no silêncio astral da Imensidade
Por lagos encantados adormecem
As pálidas ninféias da Saudade!

Como me embala toda essa pungência,
Essas lacerações como me embalam,
Como abrem asas brancas de clemência
As harmonias dos Violões que falam!

Que graça ideal, amargamente triste,
Nos lânguidos bordões plangendo passa...
Quanta melancolia de anjo existe
Nas visões melodiosas dessa graça.

Que céu, que inferno, que profundo inferno,
Que ouros, que azuis, que lágrimas, que risos,
Quanto magoado sentimento eterno
Nesses ritmos trêmulos e indecisos...

Que anelos sexuais de monjas belas
Nas ciliciadas carnes tentadoras,
Vagando no recôndito das celas,
Por entre as ânsias dilaceradoras...

Quanta plebéia castidade obscura
Vegetando e morrendo sobre a lama,
Proliferando sobre a lama impura,
Como em perpétuos turbilhões de chama.

Que procissão sinistra de caveiras,
De espectros, pelas sombras mortas, mudas.
Que montanhas de dor, que cordilheiras
De agonias aspérrimas e agudas.

Véus neblinosos, longos véus de viúvas
Enclausuradas nos ferais desterros
Errando aos sóis, aos vendavais e às chuvas,
Sob abóbadas lúgubres de enterros;

Velhinhas quedas e velhinhos quedos
Cegas, cegos, velhinhas e velhinhos
Sepulcros vivos de senis segredos,
Eternamente a caminhar sozinhos;

E na expressão de quem se vai sorrindo,
Com as mãos bem juntas e com os pés bem juntos
E um lenço preto o queixo comprimindo,
Passam todos os lívidos defuntos...

E como que há histéricos espasmos
na mão que esses violões agita, largos...
E o som sombrio é feito de sarcasmos
E de Sonambulismos e letargos.

Fantasmas de galés de anos profundos
Na prisão celular atormentados,
Sentindo nos violões os velhos mundos
Da lembrança fiel de áureos passados;

Meigos perfis de tísicos dolentes
Que eu vi dentre os vilões errar gemendo,
Prostituídos de outrora, nas serpentes
Dos vícios infernais desfalecendo;

Tipos intonsos, esgrouviados, tortos,
Das luas tardas sob o beijo níveo,
Para os enterros dos seus sonhos mortos
Nas queixas dos violões buscando alivio;

Corpos frágeis, quebrados, doloridos,
Frouxos, dormentes, adormidos, langues
Na degenerescência dos vencidos
De toda a geração, todos os sangues;

Marinheiros que o mar tornou mais fortes,
Como que feitos de um poder extremo
Para vencer a convulsão das mortes,
Dos temporais o temporal supremo;

Veteranos de todas as campanhas,
Enrugados por fundas cicatrizes,
Procuram nos violões horas estranhas,
Vagos aromas, cândidos, felizes.

Ébrios antigos, vagabundos velhos,
Torvos despojos da miséria humana,
Têm nos violões secretos Evangelhos,
Toda a Bíblia fatal da dor insana.

Enxovalhados, tábidos palhaços
De carapuças, máscaras e gestos
Lentos e lassos, lúbricos, devassos,
Lembrando a florescência dos incestos;

Todas as ironias suspirantes
Que ondulam no ridículo das vidas,
Caricaturas tétricas e errantes
Dos malditos, dos réus, dos suicidas;

Toda essa labiríntica nevrose
Das virgens nos românticos enleios;
Os ocasos do Amor, toda a clorose
Que ocultamente lhes lacera os seios;

Toda a mórbida música plebéia
De requebros de faunos e ondas lascivas;
A langue, mole e morna melopéia
Das valsas alanceadas, convulsivas;

Tudo isso, num grotesco desconforme,
Em ais de dor, em contorsões de açoites,
Revive nos violões, acorda e dorme
Através do luar das meias noites!

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Resultado da enquete: "Qual é o seu casal preferido em livros de vampiro?"

Resultado da enquete: "Qual é o seu casal preferido em livros de vampiro?"
Bella e Edward (Crepúsculo) Teve 67 votos (54%)
Bella e Jacob (Crepúsculo) Teve 12 votos (9%)
Esme e Carlisle (Crepúsculo) Teve 13 votos (10%)
Alice e Jasper (Crepúsculo) Teve 18 votos (14%)
Rosálie e Emmet (Crepúsculo) Teve 11 votos (8%)
Elena e Stefan (Diários do Vampiro) Teve 8 votos (6%)
Elena e Damon (Diários do Vampiro) Teve 18 votos (14%)
Zoey e Eric (House of Night) Teve 7 votos (5%)
Zoey e Kalona (House of Night) Teve 1 votos (0%)
Zoey e Heath (House of Night) Teve 6 votos (4%)
Zoey e Stark (House of Night) Teve 14 votos (11%)
Damien e Jack (House of Night) Teve votos (%)
Afrodite e Dárius (House of Night) Teve 9 votos (7%)
Mina e Drácula (Drácula) Teve 15 votos (12%)
Rose e Dimitri (Academia de Vampiros) Teve 18 votos (14%)
Lissa e Christian (Academia de Vampiros) Teve 8 votos (6%)
Susan Norton e Ben Mears (A Hora do Vampiro) Teve 5 votos (4%)

sábado, 2 de julho de 2011

Wake: Despertar - Lisa McMann

Muito bem escrito, com uma linguagem adequada ao público alvo, este livro veio até mim em um momento bem oportuno; na noite anteior ao dia em que comecei a lê-lo, tive um sonho que mecheu muito comigo, este livro me deu meios para lidar com esta situação.
Além do mais a capa é extremamente bem feita, com uma textura e tanto!
Janie não é uma adolescente como as outras. Ao invés de ter os próprios sonhos, ela é sugada para o sonho de qualquer pessoa que durma perto dela! Ela não tem controle sobre essa sua capacidade, as vezes fica presa em pesadelos terríveis...
Sua vida parece começar a mudar, ela se apaixona e descobre que outra pessoa pode ter tido o mesmo "dom" que ela; mas nesse momento... a história da uma reviravolta e são introduzidos temas como tráfico de drogas, investigação policial, sonho consciente e (não podia faltar!) dramas adolescentes.
Um ponto negativo que notei neste (assim como em muitos outros romances adolescentes) é a tendência de enrolar na narrativa e de deixar a história muito confusa, somando evento estranho a evento estranho.
É apenas o primeiro livro (entre 3), na medida que eu for lendo os outros, posto aqui^^.

sábado, 25 de junho de 2011

O Diário de John Winchester - Ales Irvine

O escritor de ficção científica americano, Alexander Irvine traz uma relíquia para os fãs do seriado Sobrenatural: O Diário de John Winchester.

Este livro mostra tudo aquilo que todos os fãs sempre quiseram: os rituais de exorcismo que Sam e Dean aprendem a usar; a história de Samuel Colt; a primeira caçada de Dean; o time de futebol infantil de Sam; as primeiras brigas de Sam e John; entre outros achados.
Além de tudo sobre o que se tornou a obsessão de John.
No dia 2 de novembro de 1983, Sam e Dean Winchester perderam a mãe, morta por uma força demoníaca sobrenatral. Após a tragédia, o pais deles, John, decidiu aprender tudo o que podia sobre as criaturas malignas que vivem nos cantos sombrios e nas estradas dos E.U.A.
John Winchester reuniu em seu diário lendas, folclores e superstições sobre inúmeros inimigos do outro mundo, mas também relatou suas próprias experiências e angústias.
É um jeito empolgante de descobrir mais sobre seu seriado favorito. No entanto, o livro deixa a desejar em alguns momentos, quando entra em contradição com o que foi mostrado no seriado.
Vale lembrar que tudo é mostrado da perspectiva de John.
É notável a transformação que ele sofre ao longo do tempo, de pai e marido, um mecânico normal, a um caçador com assombrso sangue frio e implacável desejo de vingança.

sábado, 18 de junho de 2011

Os Imortais: Chama Negra – Alyson Noel

Ever já começa esse livro metendo os pés pelas mãos; depois de “transformar” Haven em uma imortal, Ever deve convencer a amiga a guardar segredo, e, principalmente, se afastar de Roman. Mas é óbvio que não adianta nada, Haven é teimosa demais para seguir conselhos.
Em seguida Ever tenta usar magia para desfazer o feitiço que a amarrara a Roman, mas de novo ela falha e fica mais presa a ele do que antes.
Ela termina por se afastar de Damen, pois não quer que ele descubra seus erros, e com isso acaba se aproximando de Jude, mas só depois de atacá-lo por achar que ele era um dos imortais perigosos.
Quando tudo caminhava para um ponto crítico, Ever (ao que parece) resolve tudo, e a história recomeça.
Nesta parte o livro passa uma impressão fragmentada, como se o começo devesse estar no livro anterior e que ele só começasse mesmo na metade, o capítulo 22 parece ser de um livro diferente do qual pertence o capítulo 21, como se fosse um novo começo para esse livro.
No fim ela se livra de um inimigo e com isso arruma outro.
Esta série que para mim vinha sendo melhor a cada livro, decai neste volume e perde alguns dos atrativos, espero que em Estrela da Noite tudo melhore.

sábado, 11 de junho de 2011

Série Darkover: A Chegada em Darkover - Marion Zimmer Bradley

A humanidade fugia de uma terra superpovoada para colonizar novos mundos, mas no caminho a nave sofreu um acidente e eles foram parar em um planeta misterioso, repleto de maravilhas, cuja descoberta provocaria terríveis choques.
Esse planeta é Darkover, o mundo do mistério, de estranhas inteligências, o planeta das quatro luas e do sol vermelho, um lugar de poderes desconhecidos, que surge como uma sinistra ameaça à sobrevivência dos homens e mulheres da Terra que foram desviados do seu curso por uma tempestade espacial, atingindo um canto remoto da galáxia.
Este romance conta a história dos primeiros dias da humanidade no novo planeta, sofrendo o impacto do vento fantasma, as correntes psíquicas que só ali existiam, e do preço que cada um teve de pagar antes de poder assumir aquele estranho mundo como seu lar.
Nele são relatados como os “colonos” foram obrigados a ficar no planeta misterioso (alguns não queriam permanecer), as descobertas são narradas juntamente com as adaptações pelas quais eles tiveram que passar.
É o primeiro livro de uma grande série de ficção científica escrita pela consagrada Marion Zimmer Bradley, autora da séria As Brumas de Avalon, e outros tantos livros com temática mística. Pretendo ler os próximos e resenhá-los aqui para difundir mais essa empolgante série!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Anjo da Morte - Pedro Bandeira

Anjo da morte é um livro infanto-juvenil (mas não é exclusividade deste público!) do brasileiro Pedro Bandeira. Miguel, Crânio, Calu, Chumbinho e Magri - os cinco adolescentes que formam o grupo dos "Karas" - enfrentam problemas éticos e tomam consciência e partido em questões sociais.
O professor de teatro de Calú é assassinado pouco antes da estréia de sua nova peça. A única pista é um ameaçador folheto neonazista. O principal suspeito é um ex-oficial alemão, comandante de uma organização mundial que pretende somar o dinheiro e o poder dos criminosos com o tenebroso ideal. Grande aventura dos Karas, enfrentando os perigos de um grupo neonazista e um plano ardiloso para fazer renascer Adolf Hitler através de seu bisneto.
Se você se interessa por essa parte da história, ou quer que alguém se interesse, este livro é recomendado por proporcionar uma perspectiva diferente dessa temática!

sábado, 4 de junho de 2011

E Não Sobrou Nenhum – Agatha Christie


Dez soldadinhos saem para jantar, a fome os move;
Um deles se engasgou, e então sobraram nove.
Nove soldadinhos acordados até tarde, mas nenhum está afoito;
Um deles dormiu demais, e então sobraram oito.
Oito soldadinhos vão a Devon passear e comprar chiclete;
Um não quis mais voltar, e então sobraram sete.
Sete soldadinhos vão rachar lenha, mas eis
Que um deles cortou-seu a meio, e então sobraram seis.
Seis soldadinhos com a colmeia, brincando com afinco;
A abelha pica um, e então sobraram cinco.
Cinco soldadinhos vão ao tribunal, ver julgar o fato;
Um ficou em apuros, e então sobraram quatro.
Quatro soldadinhos vão ao mar; um não teve vez,
Foi engolido pelo arenque defumado, e então sobraram três.
Três soldadinhos passeando no zoo, vendo leões e bois,
O Urso abraçou um, e então sobraram dois.
Dois soldadinhos brincando ao sol, sem medo algum;
Um deles se queimou, e então sobrou só um.
Um soldadinho fica sozinho, só resta um;
Ele se enforcou,
E não sobrou nenhum.

Este é o poema que está emoldurado em todos os quartos de uma mansão da chamada ilha do Soldado, para onde foram levadas, a convite ou a trabalho, dez pessoas que não se conheciam. Todos aguardam a chegada dos anfitriões quando uma voz misteriosa, saída de um gramofone, acusa a cada um dos presentes por assassinatos.
Segue-se uma situação constrangedora, na qual todos negam seus crimes, no entanto, durante o livro as acusações se mostram verdadeiras.
Estranhamente os convidados começam a morrer de formas estranhas (suicídio?), exatamente como sugere o poema.
Para aumentar o suspense, eles percebem que estão presos na ilha, e que são seus únicos habitantes.
Foi o primeiro dos livros que li da Agatha Christie que eu considero um suspense e não um romance policial.

domingo, 29 de maio de 2011

Autopsicografia - Fernando Pessoa

Resolvi criar uma tag em que postarei vez ou outra alguns de meus poemas preferidos.
Para começar, um poema sobre o poeta e a poesia, de um mestre do gênero:

Autopsicografia


Fernando Pessoa


O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chea a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só as que eles não têm.
E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
E esse comboio de corda
Que se chama coração.

sábado, 21 de maio de 2011

Biografia de Jô Soares

José Eugênio Soares nasceu no Rio de Janeiro em 16 de janeiro de 1938. Filho do empresário paraibano Orlando Soares e da dona-de-casa Mercedes Leal, queria ser diplomata quando criança. Estudou no Colégio São Bento do Rio de Janeiro e em Lausanne na Suíça com este objetivo. Porém, percebeu que o senso de humor apurado e a criatividade inatas apontavam-no para outra direção. Tornou-se humorista, apresentador de televisão, escritor, artista plástico, dramaturgo, diretor teatral e ator.

Jô foi casado com Teresa Austregésilo. Com ela teve o único filho: Rafael Soares. De 1980 a 1983 a atriz Sílvia Bandeira foi sua esposa. Em 1987 casou-se com a designer gráfica Flávia Junqueira Pedras Soares, de quem se separou em 1998.
Ele fala, com diferentes níveis de desenvoltura, cinco idiomas (português, inglês, francês, italiano e espanhol) e é sobrinho de Kanela, ex-técnico da seleção brasileira de basquete.
Além de crônicas e poemas tem três livros publicados (“O Xangô de Baker Street”, “O Homem que Matou Getúlio Vargas” e “Assassinatos na Academia Brasileira de Letras”), além de sua autobiografia.

sábado, 14 de maio de 2011

Crônicas do Mundo Emerso: A Garota da Terra do Vento – Licia Troisi

Mais uma série de Fantasia Épica (similar ao Senhor dos Anéis, às Crônicas de Narnia e ao Ciclo da Herança), estilo que muito me agrada, as Crônicas do Mundo Emerso se passam em um mundo que está pouco a pouco sendo dominado por um tirano, chamado de Tirano.
Em uma das nações do Mundo Emerso vive Nihal, uma jovem exótica, diferente das garotas de sua idade, pois, se interessa por lutas e espadas, seu grupo de amigos é formado por meninos que vivem a apanhar dela nos torneios que organizam. É filha de Livon, o melhor armeiro do Mundo Emerso, e com ele aprendeu muito sobre batalhas e armas.
Após perder uma batalha para um jovem aprendiz de mago, chamado Senar, Nihal decide aprender magia para poder se vingar; no entanto ela se reencontra com seu oponente antes do esperado, ele é aprendiz de Soana, tia de Nihal, que também se torna sua aprendiz.
Com o tempo ela e Senar se tornam amigos, um aprende muito com o outro; e ele a ajuda em um momento muito ruim, quando seu pai morre durante a invasão da cidade em que viviam.
Nihal se torna uma ótima guerreira e até consegue entrar na Academia de Cavaleiros de Dragões, mas após uma difícil prova, e lá encontra muitas dificuldades; durante o ultimo estágio de seu treinamento, ela percebe que se tornou muito dura, e que luta apenas pelo ódio e pela vingança.
No fim do livro ela ainda está em treinamento, e Senar está se dirigindo para uma perigosa missão. Tudo colabora para criar o sentimento de expectativa para o próximo livro.
Apesar de aparentar ter um formato adolescente, o livro é escrito com uma linguagem muito rebuscada, que lhe confere grande beleza, mas que torna a leitura pouco fluida aos de vocabulário imaturo.

sábado, 7 de maio de 2011

A Zona Morta – Stephen King

Repleto de intertextualidade e do humor típico de King A Zona Morta faz jus à fama de uma das melhores obras de um dos melhores autores. Neste livro King “foge” de seu arquétipo de mestre do terror e escreve uma aventura americana com tons de sobrenatural, mas perfeitamente viável.

O livro conta a história de Johnny Smith, um professor secundário que faz sucesso entre seus alunos (coisa rara já em 1979, quando o livro foi publicado). Johnny é um rapaz normal, a não ser pelo fato de que após um acidente na infância passou a ter (leves) premonições. Até que, depois de ter passado uma noite agradabilíssima com a namorada, Sarah, ele protagoniza duas situações interessantes: ganha 500 dólares em uma Roda da Fortuna de uma feira regional, e um acidente de trânsito que o deixa em coma por 4 anos e meio.
Durante este período, a vida de seus pais tornou-se difícil, e a mãe, que já era uma fanática religiosa, piora muito. Sarah se recuperou, arranjou um namorado, se casou e teve um filho.
Também é nesta parte que nos são apresentados alguns fatos que parecem não ter nada a ver com a história, mas que na verdade se relacionam com Greg Stillson, nosso antagonista.
Ao acordar, Johnny tem que passar por todo o tratamento necessário em casos como o seu. Mas rapidamente ele descobre que houve uma seqüela, ele não consegue reconhecer determinados objetos, pois uma pequena área do seu cérebro foi danificada, essa área passa a ser chamada de A Zona Morta. É graças a ela que Johnny desenvolve a habilidade de saber de fatos que não devia saber, é como se ele lesse as mentes das pessoas com o toque, mas não para por aí, ele também começa a prever o futuro!
Johnny usa seu “dom/maldição” para resolver uma série de crimes, e ao encontrar com Greg Stillson sente a sensação mais forte de sua vida. Ele tem visões dele, que na época estava concorrendo a deputado, como presidente dos EUA e sendo o causador de uma guerra de proporções devastadoras. Para evitar que o pior aconteça, ele só vê uma saída, assassinar Greg Stillson.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Crônicas do Mundo Emerso: O Talismã do Poder– Licia Troisi

No segundo livro da saga, Nihal conclui seu treinamento e se torna uma Cavaleiro de Dragão, não sem antes vivenciar mais algumas aventuras (rs). Senar cumpre sua missão, chega ao Mundo Submerso e consegue ajuda. A guerra continua, e o Tirano não para de avançar. Novos mistérios são lançados. Personagens importantes se revelam e a história se torna mais emocionante.
Neste terceiro volume, após encontrar-se com Reis, e de ver o exército das Terras Livres perder mais terreno, Nihal decide sair e cumprir sua missão. Ela deve juntar as oito gemas dos oito guardiões, e completar o Talismã do Poder, para poder extinguir a magia do Tirano e enfim vencê-lo.
Durante a longa viagem ela faz novas descobertas e perde alguém muito importante. Vai pouco a pouco recolhendo as gemas; e perto do fim de sua jornada descobre o sentido que sempre procurara para a sua vida.
Após lograr êxito em sua missão, Nihal parte para a batalha, todo exército das Terras Livres se dedica à última batalha, e nas terras conquistadas os rebeldes se reúnem para extinguir o poder do Tirano.
Ido tem sua desforra, Nihal se encontra com Aster para decidir a contenda, descobre o quão semelhantes eles são e o porquê de tudo ser como é. Em seu discurso final, Aster fala sobre o Mundo Emerso, mas o que ele fala pode ser aplicado ao nosso, e também no nosso, devemos lembrar-nos das respostas de Nihal e posteriormente de Senar.
Eles, a propósito, ficam juntos finalmente, após o fim da guerra, que leva junto muitos companheiros, ele ajudam na reconstrução das terras devastadas.
A despeito do que alguns possam dizer, Licia Troisi faz escreve uma obra original e que pode nos ensinar muito, mesmo que por meio de metáforas.

sábado, 23 de abril de 2011

A Metamorfose – Franz Kafka

Tenho que admitir que foi com preconceito que comecei a ler este, que eu imaginava ser um livro chato de um desses filósofos do século XIX. Pois descobri que nem o livro é chato, nem Kafka foi um filósofo, mas sim um dos mais renomados escritores de ficção da língua alemã.
É um livro (na realidade é apenas um conto), então vou tentar escrever o mínimo, do contrário conto toda a história.
Um belo dia Gregor Samsa acorda e se descobre “metamorfoseado num inseto monstruoso” (transcrição literal). Logo ele faz uma rápida análise de sua situação física contagem das patas, exame da couraça... e já se perde em devaneios sobre o seu trabalho (caixeiro-viajante) até ser interrompido por seus pais, quem vem avisar que ele está atrasado.
Seguem-se então acontecimentos tragicômicos que culminam em Gregor, o inseto, trancado em uma sala e sendo alimentado pela irmã mais nova, a única que ousa se aproximar dele. Nessa parte do livro, dão-se acontecimentos deveras interessantes como a primeira refeição de Gregor em seu novo estado, ou perturbadores como a “cena” em que a mãe e a irmã vão ao cômodo que ele passara a habitar e tentam remover os móveis na tentativa infundada de acomodá-lo melhor, ação que culmina em Gregor pregado na parede sobre um quadro e sua mãe desmaiada.
No resto do livro são mostradas as dificuldades que a família encontra, com um toque de humor e uma sombra lúgubre.
É um livro muito bom, mas nem adianta esperar que no final Gragor volte a ser humano e viva feliz para sempre...

sábado, 16 de abril de 2011

Christine – Stephen King

O carro assassino. Foi assim que Christine ficou conhecida. Peguei esse livro na biblioteca municipal da minha cidade; e devo dizer (com tristeza) que ele está um caco, todo rasgado, amassado e manchado, com a capa toda rachada. Mas o conteúdo continua excelente!
Ele é catalogado como um romance de horror, embora também não tenha me atemorizado.
Nele é contada a história de um triângulo amoroso, o jovem Arnie Cunninghan, sua garota Leigh Cabot, e Christine. Sim, nosso protagonista está apaixonado por seu carro; segundo Leigh, “carros são garotas”.
Arnie é o típico adolescente americano do final dos anos 70 (ou pelo menos como os americanos gostam de retratá-los); um bom rapaz, com problemas com matemática e dificuldades com garotas. E é claro, paixão por carros.
Na verdade ele só se apaixona mesmo, após conhecer Christine, um Plymouth Fury 1958 caindo aos pedaços. Ele compra um carro, por um preço que parece exorbitante para o melhor amigo de Arnie, Dennis, o reforma completamente, transformando um monte de sucata velha em um calhambeque de dar gosto.
Porem isso custa o bom relacionamento de Arnie com os pais e até com o melhor amigo. Arnie passa a se comporta de maneira diferente, aborrecendo e decepcionando aos pais e afastando Dennis. Este por sua vez descobre que Christine tem um passado sombrio, depois do enterro do antigo dono do carro – que morreu logo após a venda – ele conversa com o irmão deste, que revela como a filha e a esposa de seu irmão haviam morrido após a chegada de Christine.
Quando Christine já esta pronta para rodar novamente, Arnie conhece Leigh, uma bela garota de sua escola, e eles engatam um namoro. No entanto a bonança não deve durar, uma vez que Christine começa a atrapalhar a relação, e depois de tentar matar a moça (sem sucesso), eles acabam terminando.
A cada momento a presença e a influência de Christine ficam maiores, e em determinado momento ela começa a matar os inimigos de Arnie, numa clássica demonstração de amor. Porém a culpa acaba recaindo sobre Arnie e ele passa a ser investigado pela polícia.

sábado, 9 de abril de 2011

Jô Soares (Livros)

Pois é esse magnífico humorista e apresentador também é um ótimo escritor. Tem três livros publicados (além de “O Astronauta Sem Regime”, uma autobiografia), “O Xangô de Baker Strret”, “O Homem que matou Getúlio Vargas” e “Assassinatos na Academia Brasileira de Letras”.
Vou falar aqui deles: O Xangô de Baker Strret conta uma aventura de Sherlock Holmes no Brasil na época do segundo império. Ele vem por causa do roubo de um violino Stradivarius, que pertencia à Maria Luísa de Catarina de Albuquerque, a baronesa de Avaré, e tinha sido dada a ela de presente pelo próprio Pedro II. Ao mesmo tempo ocorrem assassinatos estranhos, pelos quais Holmes logo se interessa. Ele é afetado por circunstâncias inesperadas, tais como o calor dos trópicos, as mulatas brasileiras, feijoadas e caipirinhas; e por tanto lhe acontecem duas coisas inéditas: ele se apaixona e não desvenda os crimes. É um dos meus livros preferidos! Também já virou filme, vale à pena prestigiar o cinema nacional (que não tem apenas porcaria como muitos pensam).
O Homem que matou Getúlio Vargas narra a vida de Dimitri Borja Karosec, um assassino profissional, anarquista, desastrado natural além de ser sobrinho de Getúlio Vargas. Foi um dos mandados à Sarajevo para matar Francisco Ferdinando, porém como tem um indicador a mais em cada mão, na hora do tiro ele se atrapalha e não dispara. Ele também fracassa em Paris, onde conhece Mata Hari (a maior agente dupla da história). Após muitos outros incidentes – como causar a grande epidemia de Gripe Espanhola e se envolver com Al Capone – ele chega ao Brasil e (ao que tudo indica) acaba matando um ditador: Getúlio Vargas. Garanto que quem ler irá se divertir muito.
Em Assassinatos na Academia Brasileira de Letras os rumores de um serial killer literário, que assassinou dois imortais da Academia e pretende continuar com seus terríveis envenenamentos, coloca o detetive Machado Machado no que seria o maior caso de sua vida. Ao longo do enredo, Jô revela um clima de corrupção entre os Acadêmicos. O texto é surpreendente (assim como o final), e não segue as mesmas tendências de seus anteriores.

sábado, 2 de abril de 2011

A Incrível Viagem de Shackleton

Primeiramente gostaria de afirmar que Sir Ernest Shackleton foi um herói, mesmo ele não se considerando um. É também deduzi que fora um homem muito inteligente, sua astucia tática se faz clara ao olhar deste leitor na forma em que o capitão organiza as barracas e seus habitantes, logo após “decretar” o naufrágio. Já sua coragem é atestada pela decisão de (junto com poucos homens) se arriscar no mar em um escaler para chegar à Geórgia do Sul para conseguir ajuda. Atitude esta que resulta no salvamento de toda a tripulação. O livro se constrói de forma esplêndida, há momentos em que é como se fizéssemos parte da tripulação do Endurance, além de uma boa história é também uma lição de sobrevivência em condições extremas. E faz notar as alegrias da tripulação a cada conquista/avanço e suas lamurias a cada retrocesso.
A maioria das novas conquistas revela um desafio pior do que o anterior, como quando eles chegam à esperada Ilha Elephant, e descobrem o quão inóspita ela é, de forma que rapidamente todos querem abandonar a ilha e se lançar novamente ao furioso mar antártico.
Estes homens enfrentam o frio, o mar, o vento, a neve, o sombrio inverno antártico, a fome, a sede, a saudade de suas mulheres, de casa e de seus vícios, além de escalar uma montanha de gelo; tudo em nome de uma missão, uma missão de sobrevivência.

quinta-feira, 31 de março de 2011

Os Ancestrais de Avalon - Marion Zimmer Bradley & Diana L. Paxson

A famosa série “As Brumas de Avalon” em que é contada a história do Rei Arthur do ponto de vista das mulheres e bruxas de sua corte, é apenas a finalização de uma longa série de livros escritas por Marion Zimmer Bradley e Diana L. Paxson, que contam a história da queda de Atlântida e da formação de Avalon, até sua “derrocada”.
Este livro, o terceiro da série, é a seqüência de “A queda de Atlântida: Teia da Luz” e “A queda de Atlântida: Teia das Trevas” - que narram sobre o fim da sociedade atlante. Nele Micail e Tiriki, príncipe e princesa, sacerdote e sacerdotisa da última ilha desaparecida, são separados durante uma fuga. Micail e seu primo, o príncipe Tjalan, têm sucesso em chegar ao destino planejado, um entreposto comercial nas Hespérides (as Ilhas Britânicas), onde Tjalan não perde tempo em assumir o controle. Ele sonha em dar continuidade às tradições de Atlântida e fundar um glorioso novo império - quer as tribos locais queiram ou não (o que gera alguns conflitos). Micail e os outros sacerdotes se dedicam a realizar uma antiga profecia que diz que construirão um grande templo nessa nova terra; templo este que será conhecido posteriormente como Stonehenge.
A adorada esposa de Micail, Tiriki, também chega às Hespérides, mas, desviado de sua rota por uma tempestade, seu navio aporta na costa errada. Ela e o velho sacerdote Chedan lideram um pequeno grupo de sobreviventes na formação de uma nova comunidade em harmonia com a população do Tor sagrado (Glastonbury) – onde posteriormente será Avalon. Depois que os dois grupos tomam conhecimento da existência um do outro, o conflito é inevitável.
Para quem gostou de “As Brumas de Avalon”, ou se interessa pela velha religião da Deusa, é uma boa indicação. Em breve posto algo sobre os outros livros da série (um total de 11) e de outra série que Marion Z. Bradley escreveu, a série Darkover (17 livros).

domingo, 27 de março de 2011

WORKSHOP ENSINA A ESCREVER TEXTOS CURTOS

Recebi hoje à noite esse Release do Edson Rossatto:
O escritor Edson Rossatto, especialista em micronarrativas, ensinará sua técnica durante o mês de abril no Sesc Pinheiros.

Em tempos de redes sociais, em que as pessoas precisam aprender a se expressar de forma rápida e clara, escrever pouco e dizer muito é fundamental. E será justamente esse o tema da oficina de micronarrativas "Cem Toques Cravados", ministrada por Edson Rossatto, durante o mês de abril no SESC Pinheiros.

"É simples: toda vez que uma palavra pode substituir várias, faça-o!, explica ele. "Não é que o texto fica apenas mais sucinto; fica, também, mais correto e – por que não dizer? – mais culto. Evidencia, acima de tudo, que o autor domina seu instrumento de trabalho".

Rossatto é autor do livro "Cem Toques Cravados" (Andross, 2010), que deu nome ao workshop, no qual reúne micronarrativas com exatamente cem caracteres, contando os espaços. O autor vem se dedicando ao gênero nos últimos anos e exercitando sua técnica em postagens diários no blog www.cemtoquescravados.com e no twitter @cemtoques.


EXEMPLOS DE "NANOCONTOS" QUE SERÃO APRESENTADOS NO WORKSHOP

• Ele a chutava e lhe roubava comida todos os dias. Ainda assim, ela mal esperava pelo seu nascimento.

• Na sala de aula, pediu emprestado um lápis "cor da pele" ao amigo. "Certo, mas da minha ou da sua?".

• Pintou os cabelos de azul-turquesa. Todos estranharam. Diziam que ela ficava bem era de verde-limão.

• CLASSIFICADO: "Troco coleção completa da revista 'Bela Noiva' por exemplares da revista 'Alô Bebê'". (textos selecionados do blog de Edson Rossatto)


SERVIÇO:

CEM TOQUES CRAVADOS - Oficina de Micronarrativas.

Ministrada por Edson Rossatto.

Dias: 13, 15, 19, 20, 26, 27, 28 e 29 de abril, terça a sexta, das 19h30 às 21h30.

Local: Sesc Pinheiros - Rua Paes Leme, 195 - São Paulo - SP - Sala da Internet Livre - 2º andar Vagas: 20

Inscrições: a partir de 01/04 pelo telefone (11) 3095-9492 (após meio-dia).

Classificação: Não recomendado para menores de 16 anos.

GRÁTIS


INFORMAÇÕES À IMPRENSA Assessoria de Imprensa do SESC Pinheiros:

Telefones: (11) 3095-9425 ou 3095-9421

Com Francisco Santinho Andréia Lima Diana Nunes